fbpx
Início Matérias 5 filmes de Natal com protagonistas negros que você precisa assistir

5 filmes de Natal com protagonistas negros que você precisa assistir

Chega o recesso, Natal e tudo que dá vontade é simplesmente se desligar de tudo e se distrair, né? Muito antes disso eu já começo a ver filmes de Natal porque sou apaixonada por essa época do ano. Vai se aproximando do dia 25 de dezembro, então, eu intensifico mesmo a maratona. Quando meu editor ofereceu essa pauta ~valeu Ivson S2~ eu quase abraço ele, porque já assisto filmes de Natal, sem propósito nenhum. Então agora eu teria a desculpa perfeita.

Pensando nisso, eu juntei toda essa minha expertise para separar, aqui, alguns dos POUCOS filmes de Natal com protagonismo negro. A baixa representatividade negra no cinema é uma realidade, imagina então no feriado do Papai Noel? É claro que nesse universo não seria diferente, né? Felizmente a Netflix tem investido mais em produções com personagens que nos representam, e não é porque ela é boazinha, não, é que como consumidores, nós estamos em cima dessa questão.

Sem mais enrolação, aqui vai a minha seleção de filmes de Natal para todos os gostos, espero! A ordem leva em consideração a minha avaliação pessoal, tá? Ah, e só mais um aviso. Se você se interessou por esse texto aqui sobre filmes de natal, eu assumo que já está habituado com todos os clichês natalinos nos filmes e até releva essa parte em prol de algumas boas horas de alienação e puro entretenimento, né? Acho que está cada vez mais necessário, e faz bem para a saúde mental, inclusive.

Uma invenção de Natal (2020)

Definitivamente a grande estrela dos filmes de Natal que foram lançados este ano. O filme “Uma invenção de Natal”, produzido pela Netflix, fala sobre família, lealdade e luto, tudo isso envolto numa atmosfera mágica natalina. Quando o grande inventor de brinquedos Jeronicus Jangle (Forest Whitaker) é enganado por um grande amigo, ele se vê perdido na vida, o que provoca um impacto profundo sobre a relação com a sua família, esposa e filha. 

Pelas temáticas citadas, já dá para perceber que a primeira impressão de “filme de criança” é deixada de lado, né? A história agrada a crianças e adultos porque traz uma linguagem muito fácil de ser compreendida e personagens carismáticos. É possível se ver representado tanto na pequena inventiva Journey (Madalen Mills), quanto no velho Jeronicus. Apesar de ter sido pega de surpresa no início com o gênero musical, a escolha faz sentido diante do universo lúdico de brincadeira e magia que pretende ser passado.

Disponível: Netflix

As férias da minha vida (2006)

Só de ter Queen Latifah como protagonista, “As Férias da Minha Vida” já deveria ser obrigatório na lista de filmes de Natal, mas todo o roteiro ainda é muito bom, tornando-o ainda mais necessário de ser assistido. Nesse caso, o Natal, e mais precisamente as festas de fim de ano, aparecem mais como um pano de fundo do “big break” da personagem principal Georgia Byrd, mas ainda assim a época faz todo sentido com os acontecimentos.

Georgia se vê refletindo sobre a forma de levar a vida depois de descobrir uma doença terminal, decide viver intensamente seus últimos momentos e aproveitar as férias de final de ano sozinha de uma forma totalmente nova. Muito clichê, né? Mas acredito que se você se interessou por uma lista de filmes de Natal, quer dizer que está de acordo com todos os clichês que vêm no pacote. Está ciente e quer continuar? Então “As férias da minha vida” é perfeito para isso, muito agradável, divertido e leve.

Disponível: Netflix e Prime Vídeo

O Feitiço do Natal (2018)

Imagina ganhar um calendário que te presenteia com algo novo todos os dias e que ainda parece prever o futuro? Trata-se de uma peça com 25 espaços com pequenos presentes que fazem a contagem regressiva para o natal desde o início do mês. A fotógrafa Abby (Kat Graham) foi a sortuda no filme “O Feitiço do Natal”, que, após receber o presente do avô, interpretado por Ron Cephas Jones, vencedor do Emmy pela série “This Is Us”, começa a ser envolvida num triângulo amoroso formado por um velho amigo e um médico metido a galã.

Como nada na vida é só rosas, a protagonista vive um dilema na carreira e tem algumas relações familiares estremecidas por conta disso. No entanto, o filme não procura se aprofundar muito nessas questões, mantendo o foco nos pretendentes de Abby e na magia dos amores trazida pelo calendário. É fácil se ver torcendo para que, no final, ela fique com o amigo, resolva os problemas no trabalho e finalmente se encontre como fotógrafa. Fazer o quê? É fácil de se vincular à previsibilidade (positiva para mim) do romance de Natal. 

Disponível: Netflix

Uma pousada de presente (2018)

Comédia romântica de Natal é outro clássico também, né? Se você quer ver a história de duas pessoas se apaixonando na melhor época do ano, então “Uma pousada de presente” é para você. O filme conta a história de Jen Taylor (Tia Mowry), uma publicitária workaholic que, de repente, se vê dona de uma pousada no Alasca, herdada pela tia-avó. Para resolver as pendências dessa nova responsabilidade, ela conta com a ajuda do advogado Brian Anderson, que vive na pequena cidade onde a pousada está localizada.

Já dá para imaginar que a relação deles se torna muito mais que advogado-cliente, né? Jen começa a se apaixonar à medida que também constrói laços com a cidade que significava uma família para a sua tia-avó, figura quase materna na vida da personagem principal. O roteiro de “Uma pousada de presente” não entrega mais que o esperado, mas a ambientação cheia de neve e uma pousada aconchegante regada a muito chocolate quente realmente aquece o coração.

Disponível: Netflix

O Natal está no ar (2019)

É difícil ver uma família negra abastada sendo mostrada nos filmes, né? Nesse aqui tem e muito! Em “O Natal está no ar”, Rush (Romany Malco) é um famoso radialista e viúvo pai de quatro crianças mimadas ~passei vários momentos de abusinho com isso hahaha~. Mas a vida de mimos e confortos vai para o ar quando ele é demitido às vésperas do Natal e precisa se reinventar. Ao lado da companheira de trabalho (e mais um pouco) Roxy Richardson (Sonequa Martin-Green), Rush encontra o grande sentido, tanto na carreira quanto na vida pessoal com a família. 

Não dá para dizer que o filme tem um grande roteiro, mas as atuações do par principal brilham na cena e deixa quem assiste apaixonado, mesmo. Confesso que a redenção dos filhos, que desapegam aos poucos dos luxos e do dinheiro, também dá um certo alívio no final.

Disponível: Netflix

Para você que chegou até aqui, um abraço de Feliz Natal bem apertado. Espero que aproveite essas dicas da melhor forma, seja para assistir com alguém especial ou sozinho mesmo. Lembre-se de se cuidar e de cuidar dos seus. Saúde para a gente!

Emanuely Lima
Jovem negra, filha do sertão do Pajeú e adotada pelo Recife. Recém-formada em jornalismo, costuma dizer que assobia e chupa cana ao mesmo tempo, experimenta de um tudo e se interessa por um mundo de assuntos e áreas, embora esteja sempre falando sobre negritude, feminismo e direitos humanos, tudo que perpassa a existência, dela e dos seus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.